Professora morre em acidente na Rio-Bahia


Após o impacto com um Tiguan, o carro de Paula Medeiros foi jogado no acostamento

Após colisão veículo foi jogado em canaleta e ficou completamente destruído

A professora Paula Medeiros Barros Vieira, 33, faleceu no início da tarde desta terça-feira, por volta das 14h, após uma grave colisão no km 88 da Estrada Rio-Bahia, trecho entre os bairros do Soberbo e Vale da Revolta. De acordo com o laudo da perícia, um utilitário modelo Tiguan aquaplanou e ficou sem controle, causando o impacto com o Gol conduzido por ela. As imagens chocam, já que o veículo dirigido pela professora, que caiu em uma das canaletas da rodovia, se reduziu a um amontoado de ferro retorcido dada a violência da batida. Paula era moradora de Guapimirim, na Baixada Fluminense, mas lecionava filosofia na Escola Manoel José Fernandes, no Jardim Meudon.
De acordo com informações colhidas no local, Paula seguia sentido Além Paraíba quando o motorista do Tiguan branco placa KWK 4305 perdeu o controle após uma aquaplanagem (fenômeno que ocorre quando, ao passar sobre algum tipo de fluido, normalmente água, os pneus perdem o contato com a pista, deixando o carro temporariamente sem controle) e atingiu o carro da vítima, que foi projetado para o canto da pista ao lado do acostamento, parando dentro de uma canaleta. A violência da batida foi tão grande, que o Gol verde ficou completamente destruído.

Paula Medeiros de Barros Vieira, de 33 anos, era professora da rede municipal

Presa nas ferragens

Paula morreu na hora e o corpo da professora ficou preso nas ferragens. Os bombeiros levaram cerca de duas horas para conseguir retirar a vítima de dentro do veículo por conta das condições do carro, tendo que cortar o teto do VW.
O Tiguan tinha ao volante o veterinário Clóvis Barros, de 49 anos. Por conta do porte do carro, um utilitário com uma estrutura de segurança diferenciada, o condutor sofreu ferimentos leves, mas foi encaminhado ao hospital. Em comparação ao estado do Gol, o Tiguan teve poucas avarias, apenas em parte do capô e no parachoques. Paula foi aprovada no concurso municipal de 2011, e lecionava na cadeira de filosofia. Além de ser professora na escola municipal em Teresópolis, ela tinha matrícula na rede estadual.
No final da tarde de ontem, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura emitiu nota de pesar devido ao falecimento da servidora pública. “O Prefeito Arlei e o Secretário Leonardo Vasconcellos se solidarizam com a família, amigos, colegas e alunos, desejando que tenham o merecido conforto para superar a dor da perda”, diz o texto.
Trecho perigoso
O trecho onde Paula bateu é conhecido pela recorrência de acidentes, por ter diversas curvas, declives e tráfego intenso de veículos de carga pesada. Nos últimos anos, dezenas de casos, principalmente envolvendo carretas carregadas, foram registrados entre os quilômetros 65 e 58 da BR 116. Recentemente, O DIÁRIO percorreu esse trecho, constatando que várias partes com declives e curvas fortes, em ambos os sentidos, acabam contribuindo para o número de tombamentos.

Fonte: http://netdiario.com.br/professora-morre-em-acidente-na-rio-bahia/

Comentários estão fechados.