Arquivos para abril de 2014

Creche Municipal Mariazinha Jannotti recebe visita do Clubinho Salva Vidas

Creche Municipal

Com o objetivo de despertar nos pedestres e motoristas uma maior conscientização para valorizar e preservar a vida, através de pequenas atitudes que fazem a diferença, a Creche Municipal Mariazinha Jannotti recebeu o projeto Salva Vidas no Trânsito que apresentou, para alunos e responsáveis, dicas de prevenção e segurança através de vídeos e brincadeiras.
Desenvolvido inicialmente em Teresópolis pelos especialistas Eliandro Canto e Miguel Ângelo, o projeto Salva Vidas no Trânsito apresenta palestras de educação no trânsito para crianças, jovens e adultos, e já alcançaram mais de quinze mil pessoas. O objetivo do projeto é educar através de dicas de prevenção e segurança, promovendo uma mudança no comportamento dos usuários das vias, bem como fortalecendo o conceito de cidadania.
Além de se apresentarem para as crianças, onde o material especialmente desenvolvido para essa faixa etária é apresentado no site Clubinho Salva Vidas (www.clubinhosalvavidas.com.br), os pais e responsáveis também foram convidados a participar em uma apresentação composta em outra linguagem. “Os pais também devem ter essa consciência e nossa ideia é realmente fazer a diferença na educação das pessoas”, finalizou a diretora Suzana Pedrosa.


Texto e fotos: Marcelo Ferreira

Sem comentários

Trânsito sem Celular, Atenda esse Chamado

“>

Desde outubro de 2010, o Brasil tem mais celulares do que pessoas. Hoje em dia, para cada 100 habitantes no país, há aproximadamente 135 celulares, e esses números se refletem em várias áreas, mas mais especificamente no trânsito.

Pensando nesse e em outros problemas, a ONU proclamou em 2011 a Década de Ação pela Segurança no Trânsito e lançou um desafio para os países: reduzir em até 50% o número de mortes no trânsito em um prazo de 10 anos.

O Governo Brasileiro respondeu esse desafio com o lançamento do PARADA – Pacto Nacional pela Redução de Acidentes. O pacto é uma série de ações para educação, capacitação, conscientização, sensibilização e promoção de mudanças de atitude no trânsito. A campanha de Celular é um desdobramento do PARADA, e tem como objetivo diminuir o perigoso hábito de utilizar o celular no trânsito.

A campanha “Parada Celular 2013” se utiliza de algumas situações de risco para retratar o quão absurdo é o hábito de usar o celular no trânsito: um açougueiro cortando carne enquanto fala ao celular; um marceneiro utilizando uma motoserra também falando ao celular; e uma médica operando um paciente atendendo ao telefone. Todas essas situações remetem ao risco de se realizar algo potencialmente perigoso prestando atenção em outra coisa. Na sequência vemos que a distração causada pelo celular no trânsito pode causar acidentes perigosíssimos, que podem ter como resultado o óbito de quem usa o celular ou de outras pessoas no trânsito. Ao final, a campanha assina com o conceito da campanha e do PARADA: “Trânsito sem celular. Atenda a esse chamado. Seja você a mudança no trânsito”.

Fonte: http://www.paradapelavida.com.br/campanhas/campanha-celular-2013/

Sem comentários

O que o Brasil está fazendo para atingir as metas da Década?

Que o nosso país está há mil anos luz de todos os países desenvolvidos quando se trata do tema trânsito, segurança automotiva, estrutura e comportamento, nós já sabíamos, mas quanto o Brasil está se esforçando para cumprir as metas propostas pela ONU na criação da Década Mundial de Ações para a Segurança no Trânsito?

Vemos muitas campanhas sendo veiculadas Brasil afora, que têm como objetivo a mudança de comportamento da população, mas em relação a estrutura viária e automotiva brasileira, o que, realmente, na prática o Governo está fazendo?

Vou dar alguns exemplos que ilustram como estamos atrasados em relação a muitos países do mundo desenvolvido.

Na Holanda, foram inauguradas faixas de trânsito que brilham no escuro, é uma pintura especial que acumula energia durante o dia, e se mostram solução interessante e segura para a sinalização em trechos pouco ou nada iluminados. (Há alguns dias atrás viajei entre Jaraguá do Sul e Pomerode, numa estrada que mal se enxergava a faixa pintada na via).

A novidade na Europa também é um sistema único de infrações que liga todos os países europeus. Segundo dados recentes, com a diminuição de 17% desde 2010, a União Europeia está em boa posição para atingir o objetivo estratégico de reduzir para metade o número de mortos nas estradas entre 2010 e 2020.

O Japão quer chegar até 2030 com índice zero de acidentes no trânsito, como? O governo japonês já está se preparando para receber os carros autônomos. Segundo eles, a ideia é “facilitar a circulação do tráfego e tornar as estradas japonesas as mais seguras do planeta”.

Nos EUA, o órgão americano de segurança no trânsito (NHTSA) anunciou que todos os veículos, incluindo caminhões e ônibus, terão obrigatoriamente câmera traseira. A regra começa a ser aplicada em 2016 de forma gradual até 100% dos automóveis em 2018. Segundo levantamento, a cada ano 228 pessoas morrem a cada ano em acidentes com veículos dando ré – grande parte (44%) são crianças com menos de cinco anos. Em 2013, uma associação de pais processou o governo de Barack Obama pela demora na regulamentação após um casal atropelar acidentalmente os próprios filhos.

Esses exemplos de iniciativas demonstram o quanto existem países e governos empenhados em reduzir o número de acidentes no mundo. E aqui no Brasil, como estão as coisas?

Bom, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou ontem que houve 136 mortes e 2.726 acidentes nas rodovias federais do país entre a última quinta-feira (17) e esta segunda-feira (21), durante o feriado prolongado da Semana Santa e de Tiradentes. No ano passado, entre a quinta-feira da Semana Santa e o domingo de Páscoa, a PRF contabilizou 108 mortes e 2.429 acidentes nas rodovias federais. Os principais motivos, segundo a PRF, foram falta de atenção, velocidade incompatível e animais na pista. Sim, no Brasil ainda se morre devido a animais soltos na pista (parece piada com um país de terceiro mundo, mas infelizmente é a pura realidade).

Alguma coisa mudou de um ano para o outro? Segundo os cálculos da PRF, há três anos o órgão adotou o critério de calcular o número de acidentes, mortos e feriados por dia para cada 1 milhão de veículos, os resultados de 2014 apresentaram queda.  Queda? Talvez sensível, mas nada considerável.

Para se implantar a obrigatoriedade do airbag e ABS nos carros brasileiros foi uma luta. Economia X segurança. Somos muito moles mesmo…

Afinal, então, o que está sendo feito de verdade em nosso país? Boas campanhas e só. Projetos isolados de Educação para o Trânsito nas instituições de ensino, aumento do rigor em leis (mas sem fiscalização, o que torna a lei um fracasso e a sensação de impunidade cada dia maior). Mas e na infraestrutura viária? As ultrapassagens não são a maior causa de mortes em rodovias do nosso país? E porque ainda existem tantas rodovias não duplicadas e em tão mau estado? O aumento da frota exacerbado? Aonde vamos parar? A falta de vagas em hospitais? Esses problemas citados estão além das mudanças de comportamento do cidadão, que certamente é grande responsável pelos acidentes, e a solução não tem como partir de nós, ela está nas mãos dos governos federal, estaduais e municipais.

Não podemos aceitar de modo tão passivo o massacre, ou melhor, a guerra que vivemos hoje no trânsito brasileiro. Nem nós, nem o nosso Governo.

Há muito que ser feito. A Copa está valendo para mostrar ao mundo e a nós mesmos, a situação lastimável e de atraso em que se encontra o Brasil perante o resto dos países. Como brasileira, me sinto envergonhada. Até o próximo post! Por  Mariana Czerwonka
Fonte: http://portaldotransito.com.br/blog/post/o-que-o-brasil-esta-fazendo-para-atingir-as-metas-da-decada

Sem comentários

Clubinho Salva Vidas é destaque no programa Saúde, Beleza e Bem-Estar produzido pela Forpress Comunicações.

“>

O mundo todo desperta-se para a importância da educação infantil. Até pouco tempo atrás esse ensino era tido como de menor importância.
Hoje, sabemos que a estimulação precoce das crianças contribui e muito para o seu aprendizado futuro. Desenvolve suas capacidades motoras, afetivas e de relacionamento social.
www.clubinhosalvavidas.com.br, um novo conceito de educação!

Sem comentários

Teste alerta para risco de dirigir e teclar no celular ao mesmo tempo

Segundo o governo americano, o risco de mandar mensagem ao volante é equivalente a dirigir depois de tomar quatro cervejas.

Usar o celular ao dirigir causa 1,6 milhão de acidentes por ano nos Estados Unidos e provoca a morte de 11 adolescentes todos os dias.

No Brasil, a equipe do Fantástico precisou ficar pouco tempo em uma passarela em cima de uma avenida movimentada em São Paulo. Registrou muita gente digitando no celular. Às vezes, usando até dois ao mesmo tempo. É difícil imaginar que um gesto tão rápido possa ser tão perigoso.

Para não ficar imaginando, a equipe filmou. Registrou de todos os ângulos um teste com quatro voluntários. Ele foi inspirado em outra campanha da Bélgica. Lá, os jovens tentavam tirar carteira de motorista e foram convencidos de que tinham que mandar mensagens no celular para serem aprovados.

O nosso teste foi feito de forma segura no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

Segundo o governo americano, o risco de mandar mensagem ao volante é equivalente a dirigir depois de tomar quatro cervejas.

A equipe do Fantástico colocou uma urna na porta de uma faculdade para saber quem mais assume a infração de dirigir e teclar ao mesmo tempo. Ninguém precisava se identificar. Quase metade dos jovens disse que, sim, dirige teclando.

Os pesquisadores americanos mediram: um motorista fica pelo menos cinco segundos sem olhar para o trânsito quando manda ou recebe mensagem. A uma velocidade de 88 km/h, isso significa cruzar um campo de futebol inteiro dirigindo de olhos fechados.

Fonte: http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/04/teste-alerta-para-risco-de-dirigir-e-teclar-no-celular-ao-mesmo-tempo.html

Sem comentários

Clubinho Salva Vidas – Centro Educacional Renascer do Sol

“O principal objetivo da educação é criar homens capazes de fazer coisas novas não simplesmente de repetir o que outras gerações fizeram, homens criativos, inventivos e descobridores” Piaget

A presença maciça dos pais na palestra de conscientização do Clubinho Salva Vidas foi surpreendente. Obrigado a todos vocês pela presença, vocês fazem nosso trabalho valer a pena.

Clubinho Salva Vidas X Renascer do sol

Sem comentários

4 dicas para manter a calma e a segurança no trânsito

Veja como manter a calma é fundamental para manter a paz no trânsito e chegar onde você precisa com segurança.

O trânsito das grandes cidades está cada vez mais intenso e perturbador. Pequenos percursos agora demoram muito tempo e é preciso que nos antecipemos para os compromissos já levando em consideração que poderemos ficar literalmente “parados” no trânsito.

Isso não é fato apenas para as grandes capitais, muitas cidades ao redor do mundo sofrem com o mesmo problema.

Esse fator acaba por deixar motoristas cada vez mais estressados e sem paciência, fato que gera mais e mais violência no trânsito acarretando brigas e muitas vezes mortes.

O crescimento da frota de veículos é um fato e nós como cidadãos precisamos aprender a conviver com esse problema sem deixar que ele mexa com nosso autocontrole. Essa é a grande dificuldade.

Quando sair de casa da próxima vez pense em algumas coisas que poderão lhe auxiliar a manter-se mais tranquilo.

1. Músicas

Grave alguns CDs com suas músicas favoritas e deixe guardado dentro do veículo. De vez em quando grave novos CDs para que você não perca o interesse neles. O interessante é ter CDs com temas variados para que você possa escolher qual deles você mais se interessa naquele dia específico.

2. Livros

Já é enorme a lista de audiolivros disponíveis. Se você é daqueles que sempre reclamam que não tem tempo suficiente para ler, seus problemas foram resolvidos. Escolha os audiolivros que lhe interessam e ouça nos momentos em que ficar parado no trânsito. É possível até que você fique torcendo para pegar um trânsito à frente só porque a história se tornou muito interessante!

3. Companhia

Fazer o mesmo percurso todos os dias com ou sem trânsito se torna algo sem graça. Mas se você tem alguma companhia ao lado tudo fica diferente. Combine com amigos ou parentes sobre caronas. Com certeza seu stress com o trânsito diminuirá, pois vocês poderão conversar sobre assuntos diversos que lhe ajudarão a manter-se mais tranquilo.

4. Autocontrole

Decida-se antecipadamente a mudar a forma como encara o trânsito. Lembre-se disso sempre que sentar-se ao volante. Se necessário deixe bilhetinhos para você mesmo no painel do carro para lembrar-se de sua nova meta. Procure mudar a forma como dirige, diminua a velocidade, mude menos de faixa de trânsito, coloque-se no lugar do outro, procure relevar, isso tudo lhe ajudará a sentir-se mais calmo além de colaborar também com a tranquilidade no trânsito.

Sentir-se nervoso não lhe ajudará a chegar mais rápido em lugar algum, portanto mude de atitude agora mesmo e colabore para um trânsito mais seguro e tranquilo.

Fonte: http://familia.com.br/4-dicas-para-manter-a-calma-e-a-seguranca-no-transito

Sem comentários

PERCEBA O VERDADEIRO SENTIDO DA VIDA EM APENAS 3 MINUTOS

Existem coisas que o dinheiro não compra e esta é a verdadeira mensagem deste vídeo fantástico que você não pode perder. Não se esqueça de compartilhar este vídeo e espalhar a sua mensagem.

Sem comentários

Pena para motorista bêbado que matar ao volante pode aumentar

Motorista bêbado que mata pode ter pena aumentada

Hoje, a punição é de quatro anos; projeto de lei quer aumentar a pena para 30 anos.

O funcionário público Alessandro Conceição voltava para casa por volta de 1h depois de encontrar amigos em um clube localizado a 15 km de sua casa. Pouco antes de chegar ao destino, o carro dele foi atingido por um outro, que vinha em alta velocidade.

Alessandro morreu na hora, e o motorista que provocou o acidente fugiu do local sem prestar socorro. Suspeito de estar embriagado, o responsável pela colisão só se apresentou à polícia dez dias depois e, hoje, está solto.

É para evitar esse tipo de impunidade que um projeto de lei propõe aumentar a pena para crimes de trânsito.

O projeto de lei em questão pretende mudar a tipificação do crime de homicídio culposo para doloso — quando se tem intenção de matar — nos casos em que o responsável pelo acidente ingere bebida alcoólica ou algum outro tipo de droga. O projeto, de autoria do deputado Laércio José de Oliveira (SDD-SE), está sob avaliação da Comissão de Viação e Transportes.

— [Atualmente] Não tem como punir quem causa acidente com morte. Então, esse projeto qualifica o crime doloso; e o próprio projeto já coloca a pena de 12 a 30 anos. É para se ter certeza de que, no Brasil, se você dirigir sob o efeito de drogas ou álcool e matar, você vai para cadeia e assim se faz Justiça.

No entanto, o diretor da ONG Não Foi Acidente, Nilton Gurman acredita que o projeto de lei não deve ser aprovado:

— Acreditamos que ele nem passe pela CCJ [Comissão de Constituição e Justiça]. Embora toda a intenção em tornar as leis em relação a álcool e direção / mobilidade e cidadania menos permissivas sejam bem vindas, há critérios constitucionais quem precisam ser observados, como proporcionalidade de penas por exemplo.
De acordo com levantamento da ONG Não foi Acidente, que defende maior rigidez na punição para os acusados de crimes no trânsito, somente 10 pessoas até hoje foram condenados e estão presas em regime fechado por matar alguém no trânsito no Brasil.

Hoje, o condutor que bebe e provoca morte no trânsito é indiciado por homicídio culposo (sem intenção de matar). Neste caso, se o atropelador for réu primário, pode pegar de dois a quatro anos de prisão — e sua habilitação pode ser suspensa por até um ano. Na prática, segundo a Constituição brasileira, as penas de até quatro anos de prisão podem ser convertidas em serviços para a comunidade.
Pressão

O projeto de lei em questão está anexado a outros que tratam do mesmo tema, entre eles o projeto apoiado pela ONG Não foi Acidente, que pressiona a comissão para que as propostas sejam apreciadas. Enquanto isso, a família de Alessandro, que pode dar nome à lei, luta para que o responsável pelo acidente seja punido severamente.
A mãe de Alessandro, Sônia Amazonas, busca forças nessa luta por Justiça.

— Choro todos os dias. Mas tenho força para lutar, para [os deputados] aprovarem esse projeto de lei. E ele [o projeto] vai levar o nome do meu filho.
Irmão do funcionário público, Fernando Luiz Conceição está convencido de que a morte de Alessandro foi criminosa.

— Não foi um acidente, foi um crime. Porque um criminoso, um assassino, não é só aquele que carrega uma arma, uma faca. O carro em alta velocidade é uma arma.
Não foi acidente

A ONG Não foi Acidente recolhe assinaturas para levar ao Congresso Nacional um projeto de lei de iniciativa popular para aumentar a pena que motoristas que dirigem sob o efeito de álcool.
Segundo a proposta do grupo, o exame de sangue (ou o bafômetro) não seria mais necessário, pois a embriaguez seria atestada a aprtir da análise clínica de um médico legista ou de alguém que tenha fé pública, como um policial. Nesse caso, o crime de trânsito continuaria qualificado como homicídio culposo, mas a pena seria aumentada caso fosse provada a embriaguez do motorista, passando a ser de 5 a 8 anos de reclusão.

De acordo com Nilton Gurman, o projeto de lei foi apresentado à Câmara dos Deputados em março do ano passado, e atualmente está na Comissão de Viação e Transportes, junto com o projeto defendido pelo deputado Laércio de Oliveira. O grupo continua recolhendo assinaturas para apresentar o mesmo como Projeto de Lei de Iniciativa Popular — são necessárias 1,3 milhão de assinaturas. Na prática, a pressão seria maior.
— Estamos com quase 1 milhão de assinaturas, no momento elas reforçam a legitimidade de nosso pleito, mas como o projeto ja está no Congresso, as assinaturas não são mais necessárias. Estamos neste momento em campanha, pedindo que as pessoas liguem para o disque Câmara: 0800-619619 e peçam urgência na aprovação do nosso PL [Projeto de Lei].

A ONG foi criada depois da morte de Vitor Gurman. Em julho de 2011, ele foi atropelado pela nutricionista Gabriella Guerrero Pereira. Gabriella estava embriagada e dirigia em altíssima velocidade. Vitor foi atingido enquanto caminhava na calçada e morreu após cinco dias.
Fonte: Cenário MT

Sem comentários