Arquivos para agosto de 2013

Magé recebe ambulância do Programa Mãe Coruja!!!‏

Programa mãe coruja

Na manhã desta quarta-feira (28), o prefeito Nestor Vidal recebeu das mãos do secretário estadual de Saúde Sergio Côrtes e do deputado estadual Iranildo Campos a chave da ambulância cegonha. Magé recebeu o veículo através do Programa Mães da Baixada, instituído pelo Governo do Estado. A solenidade ocorreu na sede do 4º Grupamento de Bombeiros Militar, em Nova Iguaçu.

Nestor Vidal destacou a importância do equipamento para a área da Saúde no município e lembrou os investimentos que estão sendo realizados em sua gestão.

“A ambulância deste importante programa possibilitará redimensionarmos a assistência às nossas gestantes, que terão uma infraestrutura diferenciada para a transferência de uma unidade hospitalar para outra. Quero também destacar que teremos em breve a inauguração da UPA e estamos modificando a realidade de 14 PSF’s, com obras de revitalização e novos equipamentos. Temos que ter um maior investimento por parte do governo federal, para que possamos custear de maneira eficaz as demandas do setor, que são muitas, não só em Magé, mas no país inteiro”, disse o prefeito.

O investimento do programa destinou um investimento de R$ 1.053.690 para a compra de 11 ambulâncias para os municípios da Baixada Fluminense.

“Estamos entregando ambulâncias que não vão apenas salvar vidas, mas sim dar vidas. Além disso, vamos viabilizar que as clínicas conveniadas sejam tratadas com mais seriedade. Pagávamos R$ 527 por parto e agora vamos destinar R$ 1.110 por nascimento, para que as crianças sejam trazidas ao mundo de maneira mais digna”, afirmou o governador Sérgio Cabral.

O prefeito Nestor Vidal estava acompanhado pelo Chefe de Gabinete, Paulo Vaz; o secretário de Saúde, Tarcisio Crespo, e a coordenadora de Atenção Básica, Rafaella Vidal.

_Programa

NESTOR AO LADO DO SECRETÁRIO DE SAÚDE TARCÍSIO E DA COORDENADORA DE ATENÇÃO BÁSICA RAFAELLA VIDAL.

 Assessoria de Comunicação 
Prefeitura Municipal de Magé

1 Comentário

Estudo inédito revela as causas dos acidentes com motos

 Quando se fala em acidentes de trânsito envolvendo motocicletas, os números são evidenciados, mas, o que está por trás das estatísticas? Em outras palavras: quais são as causas reais dos acidentes? Para responder a essa pergunta, a Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), o Hospital das Clínicas e a Abraciclo, associação que representa as fabricantes de motocicletas do país, se uniram para produzir um estudo científico sobre o assunto.

A amostragem recebeu informações de 326 vítimas no período entre fevereiro e maio deste ano, na zona oeste da capital paulista. Peritos iam até o local do acidente para analisar o caso e as vítimas eram entrevistadas nos hospitais. A primeira constatação foi: “O comportamento de risco do motociclista e a falta de respeito e visibilidade do motorista foram os fatores que mais contribuíram para a ocorrência do acidente”, diz o estudo.

O grupo considerado de risco é homem, adulto jovem, classe média baixa e usuários da moto como meio de transporte. 73% usam o veículo de duas rodas para fazer o seu transporte e 23% a trabalho.

Um dado alarmante foi a relação entre álcool, droga e condução. Em 21,3% dos casos as vítimas estavam com o comportamento alterado. Ou seja, uma em cada quatro pessoas pilotava sob efeito de substâncias proibidas.

A pesquisa revela ainda que 18% dos acidentes foram causados por problemas nas vias (condições do piso e sinalização). O mau estado de manutenção da motocicleta foi a causa de 8% dos acidentes. Os itens de pior conservação foram pneus e freios.

Com base nas informações coletadas, os peritos detectaram que em praticamente metade dos casos (49%) a motocicleta provocou o acidente e em sua grande maioria pelo fator imprudência (88%). A outra parcela de culpa (51%) dos acidentes foi causada por outros veículos e mais uma vez a imprudência (84%) foi a principal razão.

Em um panorama geral, as causas dos acidentes são divididas da seguinte forma: 37% motociclistas, 37% motoristas, 18% via e 8% veículo.

Para ver a pesquisa na íntegra, acesse o site da Abraciclo (abraciclo.com.br).

Sem comentários

Piabetá ganha ciclovia e reurbanização

Inauguração Ciclovia Piabeta

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Piabetá ganha ciclovia e reurbanização

Na tarde de sol do último sábado (24) foi realizada a entrega oficial da ciclovia e a reurbanização da Rua Prefeito Olívio de Mattos, em Piabetá, no sexto distrito, feita pelo prefeito Nestor Vidal.

Acompanhado pelo secretariado e diversos populares, o prefeito pedalou e caminhou por toda extensão da ciclovia, que tem três quilômetros, ligando Parada Angélica ao Parque Caçula, até a travessia da Linha Férrea.

As obras de revitalização da Rua Prefeito Olívio de Mattos também foram concluídas. Foi feita a limpeza da área no entorno da linha férrea, a pintura das faixas de segurança e sinalização dos quebra-molas e o meio-fio, além da construção de um calçadão. A obra de canalização do leito do Rio Caioaba está sendo concluída.

“A ciclovia vai oferecer muito mais segurança para todos que usam a bicicleta como meio de locomoção. A revitalização de toda Rua Prefeito Olívio de Mattos também atende a uma reivindicação muito antiga, que hoje tenho imenso prazer de estar entregando. Piabetá ainda receberá muito mais investimento”, afirmou Nestor Vidal.

Quem estava feliz com a obra era o aposentado José Moreira Cavalcante, de 77 anos. “Eu adorei tudo o que foi feito aqui em Piabetá. Ficou tudo muito bom, adorei a ciclovia e vou andar muito de bicicleta, mesmo com a minha idade”.

A dona de casa Erenice Felix, 43, também aprovou o trabalho da prefeitura em Piabetá.

“A ciclovia agora vai dar segurança para as pessoas andarem de bicicleta sem se preocupar com o trânsito, de ser atropelado. E a limpeza na Olívio de Mattos também ficou muito boa”.

O pedreiro André França dos Santos falou que já estava utilizando a ciclovia e agradeceu ao prefeito Nestor Vidal pela obra.

“A gente agora consegue andar com segurança e foge dos carros. Quero dar os parabéns ao prefeito Nestor Vidal pela iniciativa e pela obra que ficou muito boa. Ele pensou nos moradores de Piabetá”, finalizou.

 Assessoria de Comunicação 
Prefeitura Municipal de Magé

Sem comentários

A cada cinco vítimas de acidentes com motos, uma consumiu álcool ou drogas

Acidente de moto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pesquisa realizada pelo Hospital das Clínicas coletou dados de 326 vítimas

Uma pesquisa realizada pelo Hospital das Clínicas traz um grande alerta para os motoristas de moto. De cada cinco vítimas de acidentes com motocicletas na Capital, uma consumiu álcool ou drogas antes de dirigir. O levantamento é o mais completo sobre esse tipo de ocorrência já realizada na Cidade de São Paulo.

Durante três meses, em dias alternados, foram coletados dados de 326 vítimas em unidades hospitalares da zona oeste da cidade e nos locais dos acidentes. Entre as informações levantadas na pesquisa, 44% das vítimas tiveram lesões graves, 21% haviam consumido álcool ou drogas e 23% não tinham habilitação para dirigir motos.

A gravidade dos ferimentos foi maior nas vítimas sem habilitação: 67% delas tiveram lesões consideradas graves, enquanto entre as vítimas com habilitação esse índice foi de 43%. Já sobre o uso de equipamentos de segurança ao dirigir, apesar de 90% das vítimas usarem capacetes, apenas 22,7% usavam botas e só 18,1%, jaquetas. Do total de vítimas avaliadas, 55% já tinham sofrido acidentes anteriores e 18% foram internadas anteriormente em razão de acidentes.

O projeto contou com a participação de diversos departamentos da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e de órgãos públicos e privados como Companhia de Engenharia de Tráfego, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Estado, com o apoio da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares.

Do Portal do Governo do Estado

Fonte: http://saopaulo.sp.gov.br/spnoticias/lenoticia.php?id=231654&c=6

Sem comentários

Crack e Cocaína Uso e Consequências

“>

 

O Dr. Mauricio Cotrim é coordenador ambulatorial da clínica de reabilitação de dependentes químicos Carpe Diem. Este vídeo é parte de uma série de entrevistas sobre a dependência química como uma doença, que tem causas e tratamento, e aborda as consequências da maconha sob o ponto de vista dos profissionais que trabalham na recuperação de dependentes e ex-usuários de drogas.

Sem comentários

Documentário – Crack. O começo do fim.

“>

Crack, é possível vencer – Compromisso de todos

Programa Crack, é possível vencer investe na capacitação de professores, agentes de saúde, assistência social e segurança pública. Até agora, 174 mil profissionais, de 13 estados, já foram capacitados pela ação.

Documentário vencedor do Festival Em Curta 2012.
Melhor documentário juri popular.
Melhor documentário juri técnico.
Melhor direção.

Obs: (Vídeo sem fins comerciais)

Agradecimentos:
Thaís Almeida (roteiro)
Luiz Felipe Oliveira (produção)
Junior Barragan (câmera)
Gabriel Gomes Bento (edição)
Félix Milezy (edição)
Fabrinni Meireles (edição)
Marcos Paula (produção)
Jéssica Reis (apresentação)
Thiago Scramignan (produção)
Paulo André Defáveri
Marco de Cardozo (professor)
1º Turma de Jornalismo (Unigranrio Campus – Duque de Caxias)

Espero que gostem do meu trabalho!
http://www.facebook.com/gisele.christyn

Sem comentários

Drogas, atenção aos sinais de dependência

Ilustração:  jovem comprando a droga

Como saber se uma pessoa próxima está usando crack

O usuário de crack apresenta mudanças evidentes de hábitos, comportamentos e aparência física. Um dos sintomas físicos mais comuns que ajudam a identificar o uso da droga é a redução drástica do apetite, que leva à perda de peso rápida e acentuada – em um mês de uso contínuo, o usuário pode emagrecer até 10 quilos. Fraqueza, desnutrição e aparência de cansaço físico também são sintomas relacionados à perda de apetite.

É comum ainda que o usuário tenha insônia enquanto está sob o efeito do crack, assim como sonolência nos períodos sem a droga. “Os períodos utilizando a droga prolongam-se e os usuários começam a ficar períodos maiores fora de casa, gastando, em média, três dias e noites inteiros destinados ao consumo do crack. Neste contexto, atividades como alimentação, higiene pessoal e sono são completamente abandonadas, comprometendo gravemente o estado físico do usuário”, afirma o psiquiatra Felix Kessler.

Sinais físicos como queimaduras e bolhas no rosto, lábios, dedos e mãos podem ser sinais do uso da droga, em função da alta temperatura que a queima da pedra requer. “Também se notam em alguns casos sintomas como flatulência, diarréia, vômitos, olhos vermelhos, pupilas dilatadas, além de contrações musculares involuntárias e problemas na gengiva e nos dentes”, aponta Fátima Sudbrack, coordenadora do Programa de Estudos e Atenção às Dependências Químicas (Prodequi) da Universidade de Brasília (UnB).

Comportamento

Falta de atenção e concentração são sintomas comuns, que levam o usuário de crack a deixar de cumprir atividades rotineiras, como freqüentar trabalho e escola ou conviver com a família e amigos. “O dependente apresenta algumas atitudes características, como mentir e ter dificuldades de estabelecer e manter relações afetivas. Muitas vezes apresenta comportamentos atípicos e repetitivos, como abrir e fechar portas e janelas ou apagar e acender luzes”, afirma Laura Fracasso, psicóloga da Instituição Padre Haroldo.

O usuário de crack também pode experimentar alucinações, sensações de perseguição (paranóia) e episódios de ansiedade que podem culminar em ataques de pânico, por exemplo. Isolamento e conflitos familiares são comuns. O dependente pode, ainda, passar a furtar objetos de valor de sua própria casa ou trabalho para comprar e consumir a droga. “O humor pode ficar desequilibrado em função do uso ou falta da droga. O usuário alterna entre estados de apatia e agitação”, diz Fátima Sudbrack.

Fonte: http://www.brasil.gov.br/crackepossivelvencer/a-droga/sinais-de-dependencia

 

 

 

Sem comentários

Campanha de Trânsito na Austrália já ganhou o Festival de Cannes com o slogan: “Matar uma criança é matar uma família”.

Matar uma criança é matar uma família.

Sem comentários

Uma morte e quinze feridos em sete acidentes no final de semana em Teresópolis – RJ

– Números da violência no trânsito no final de semana impressionam

O final de semana em Teresópolis foi marcado por vários acidentes de trânsito que deixaram quinze pessoas feridas e uma vítima fatal que foi atropelada no interior do município. A maior parte das ocorrências foi registrada em locais críticos em que é comum ter notícias de problemas com colisões. As equipes de emergência tiveram muito trabalho e chegaram a ter que atender a colisões simultâneas em bairros distintos.

Colisão em Agriões

Na tarde de sexta-feira, por volta das 16 horas, aconteceu uma colisão entre dois carros na esquina das Ruas Jari e José Elias Zaquem em Agriões, próximo a subestação de energia da Ampla. O Fiat Pálio Weekend de cor azul marinho dirigido por Antônio Garcia que leva a esposa Luiza Silva no carona, foi atingindo violentamente na porta do carona pela Saveiro de cor vermelha.
Antônio Garcia contou que transitava pela principal em direção a casa dele no Corta Vento, junto com a esposa, quando ao passar no cruzamento, acabou atingido por um veículo que descia pela Jarí para acessar Agriões.
Equipes do Corpo de Bombeiros foram até o local e prestaram o atendimento aos envolvidos, sendo que não foi necessário levar ninguém até o HCT. O impacto foi tão violento que lançou o carro para cima da calçada e por pouco não atingiu pedestres que passavam pelo local. Nenhum dos envolvidos ficou ferido.“Nós vínhamos para cá e esse senhor desceu em velocidade, não tinha como ele parar e me pegou”, contou Antônio.

Acidente no Soberbo deixa oito feridos

Na noite de sexta feira, às 19:30, um grave acidente aconteceu na Avenida Rotariana próximo ao Parque Nacional, quando o motorista que dirigia um Golf Branco em direção ao centro da cidade, passou por um trecho de curva onde já foram registrados vários acidentes. O carro dirigido por João Penna, de 71 anos, colidiu frontalmente contra um Fox de cor preta, guiado por Fernanda Correa, de 20 anos, que vinha em sentido contrário. No acidente oito pessoas ficaram feridas e tiveram que aguardar a chegada da ambulância de resgate do Corpo de Bombeiros que estava em outra ocorrência.
As imagens no local impressionavam e davam a dimensão da violência do choque. Na lataria do Golf havia várias manchas de sangue e o pára-brisas ficou destruído com marcas de que motorista e carona teriam batido a cabeça contra o vidro.
Também ficaram feridos na batida Vânia Penna, de 42 anos, Fabio Luiz Penna (13), Thiago de Souza Pacheco (28), Gabriel Almeida (21), Izabel Penna e Felipe Luiz Vieira Penna.

Trânsito pare-siga

O atendimento foi feito inicialmente por uma equipe da CRT, que é responsável pela via até a entrada do Parque Nacional. Em seguida chegaram uma ambulância do SUS e outra dos Bombeiros para dar apoio. O local ficou com trânsito no pare-siga para o trabalho das equipes e para a realização da perícia para apurar o acidente. Todos foram encaminhados para o Hospital das Clínicas de Teresópolis e nenhum ficou gravemente ferido.
Ainda enquanto era realizado o atendimento, as equipes do Corpo de Bombeiros foram acionadas para um acidente ocorrido na Barra.
Motociclista bate em dois carros
Os agentes do 16º GM rapidamente se locomoveram para prestar atendimento a um motociclista transitava em direção ao centro pela Avenida Presidente Roosevelt, esquina com a Manoel José Lebrão, próximo a um posto de combustíveis, quando sofreu um acidente.
O condutor perdeu o controle da moto e acabou colidindo com um Pólo de cor preta, com placa de Sapucaia. O motociclista Luiz Gustavo de Oliveira, de 20 anos sofreu uma queda de sua Honda e ainda atingiu um Renault Scenic que estava estacionado. O condutor da moto recebeu atendimento da equipe dos bombeiros, mas estava consciente. Algumas pessoas ajudaram a socorrer o motociclista enquanto ele aguardava a chegada das equipes de emergência. A Guarda Municipal sinalizou o trânsito no local diminuir a confusão.

Carro invade loja após colisão

No final da noite de sábado, as equipes de emergência foram acionadas para atender a uma ocorrência no Bairro do Alto em que havia a informação de que uma pessoa teria morrido após um choque entre dois veículos. No local, foi constatado que depois de uma forte batida, em que um homem foi arremessado para fora do Renault Clio que guiava, a vítima ficou apenas por alguns minutos no chão e recobrou os sentidos. Ele havia sofrido alguns ferimentos, mas passava bem e logo levantou por conta própria.
Na Avenida Oliveira Botelho, próximo à entrada da Granja Guarani, um veículo Hyundai Veloster de cor preta colidiu violentamente contra o Renault Clio de cor vermelha, quando saía de uma rua transversal à Oliveira Botelho.
O Clio ficou com a dianteira completamente destruída devido à violência do impacto. O Veloster acabou avançando sobre a calçada e quebrou a cerca de uma loja de piscinas, só parando dentro do terreno do estabelecimento. O motorista do Veloster havia saído do local do acidente e uma patrulha da PM foi buscá-lo para prestar esclarecimento sobre o ocorrido. Os condutores dos dois veículos foram ouvidos pela polícia e em seguida encaminhados para a emergência do HCT.

Duas motos colidem com veículo

Por volta 19:30 de domingo, no cruzamento das ruas Paquequer e Tenente Luis Meirelles, em frente a um posto de combustíveis, um motociclista ficou ferido e precisou de atendimento médico após uma colisão. De acordo com o que foi apurado no local, o motorista de um Kadett seguia pela rua principal e fez uma manobra para entrar na Rua Paquequer, em direção ao Bairro São Pedro. Nesse momento, duas motocicletas vinham em sentido contrário ao dele, não conseguiram frear a tempo e acabaram colidindo com o veículo, uma na lateral e outra frontalmente. Somente um dos motociclistas precisou de atendimento médico e ficou caído na rua. Ele recebeu os primeiros socorros de uma resgatista que passava no local pouco depois do acidente. “Ele estava consciente, conversei com ele, que me pediu para fazer várias ligações para a família dele. Ele estava sentindo dores nas pernas e nos braços”, disse Vanilda Riba, resgatista.
O motociclista ficou caído na calçada do posto de combustíveis e teve que ser imobilizado para ser colocado na maca e em seguida foi levado para a emergência do Hospital das Clínicas de Teresópolis, onde recebeu atendimento médico, mas não corria risco de morte.
O condutor da outra moto teve ferimentos leves e assinou o termo de recusa de atendimento dos Bombeiros. O motorista do Kadett afirmou que a culpa do acidente é dos sinais que foram instalados no cruzamento, pois estariam causando confusão.

Atropelamento mata idosa no interior

Sábado à noite, um acidente fatal foi registrado no interior do município, em um atropelamento que aconteceu na RJ 130, na altura do km 9,5, em Boa Fé. A motorista transitava com seu veículo Chevrolet de cor preta, do Bairro de Albuquerque em direção à Bonsucesso e acabou se deparando com uma senhora atravessando a pista, mas não conseguiu frear para evitar o acidente e o atropelamento aconteceu.
Quando a condutora parou para prestar socorro à vitima, um outro veículo veio em alta velocidade e também atingiu a mulher que já estava caída, causando danos que contribuíram para a morte dela vítima. O segundo veículo a atropelar a mulher não parou para prestar socorro e se evadiu rapidamente do local. O impacto da vítima com o carro causou a destruição do pára-brisa do lado do carona e a violência foi tamanha que pedaços de tecido da roupa que a vítima usava ficaram presas ao farol do veículo.
Os policiais do DPO de Vargem Grande assumiram a ocorrência e acionaram a perícia que liberou o corpo para o IML, onde ainda se encontra por não ter havido identificação ou pessoa que fosse reclamar.

Dois ocupantes de moto ficam feridos

Na manhã deste domingo, por volta das 11 da manhã, outro acidente aconteceu na Rua São Pedro, no bairro de mesmo nome, local de grande movimento, em frente a dois mercados que tem um fluxo intenso de entrada e saída de veículos. Por conta dessa circulação de veículos, um motociclista acabou batendo na lateral de um Corcel e sofreu uma queda. Ele conduzia uma moto Honda de cor preta, que ficou avariada com a queda, Na garupa estava uma mulher e ambos necessitaram de atendimento medico. O rapaz estava com vários ferimentos na perna, enquanto a mulher não aparentava ter ferimentos sérios. Eles ficaram caídos aguardando e rapidamente a ambulância chegou. A traseira do Corcel também sofreu avarias decorrentes do impacto. As vítimas foram levadas conscientes para a emergência do Hospital das

Fonte: http://netdiario.com.br/uma-morte-e-quinze-feridos-em-sete-acidentes/

Sem comentários

Prefeito Nestor Vidal inaugura ciclofaixa em Magé

O céu azul da manhã deste sábado (10) foi o palco perfeito para a inauguração da primeira fase da ciclofaixa, que se estende da Rua Coronel João Valério, no pórtico de entrada da cidade até a Rua Coronel Macieira. O prefeito Nestor Vidal, acompanhado pelos secretários municipais, percorreu de bicicleta o trecho inicial da via, que tem 1,8 quilômetros de extensão.

“Estamos à frente de diversos municípios fluminenses diante da tendência mundial de adotar meios alternativos e não poluentes de transporte. E aqui em Magé, a bicicleta é o preferido da população. Agora, temos uma via para as pessoas transitarem com segurança”, afirmou.

A segunda etapa do projeto terá um quilômetro e meio e seguirá do Centro ao pórtico da cidade, no sentido BR-493. O projeto também será ampliado até o 6º distrito, com a conclusão das obras da ciclofaixa ligando Piabetá a Parada Angélica em Duque de Caxias. As intervenções estão em estágio avançado e um trecho de aproximadamente dois quilômetros, na altura do Parque Caçula, já foi finalizado. A extensão total da via alternativa no município será de cinco quilômetros.

A doméstica Angélica de Souza Ramos, de 32 anos, utiliza a bicicleta como meio de transporte diariamente e, por isso, ficou satisfeita com a construção da ciclofaixa.

“Eu fico mais segura andando pela ciclovia. Os carros e ônibus agora precisam respeitar esse espaço e o risco da gente se acidentar é menor”, disse ela.

Assessoria de Comunicação 

Prefeitura Municipal de Magé

attachment

Ciclovia Magé

 

Sem comentários